domingo, 5 de janeiro de 2014

Deus Todo Poderoso

- De todos os atributos divinos, só a onipotência de Deus é mencionada no Símbolo:
  • confessá-la é de grande importância para nossa vida.
- Nós cremos que a onipotência de Deus:
  • é universal, pois Deus que criou tudo, governa tudo e pode tudo;
·         é de amor, pois Deus é nosso Pai;
·         é misteriosa, pois somente a fé pode discerni-la, quando (a onipotência divina) "se manifesta na fraqueza" (2Cor 12,9).

"Ele faz tudo o que quer" (Sl 115,3)
- As Sagradas Escrituras professam reiteradas vezes o poder universal de Deus. Ele é chamado:
·         "o Poderoso de Jacó" (Gn 49,24; Is 1,24 e.o.),
·         "o Senhor dos exércitos", "o Forte, o Valente" (Sl 24,8-10).
- Se Deus é Todo-Poderoso "no céu e na terra" (Sl 135,6), é porque os fez.
- Por isso, nada lhe é impossível, e Ele dispõe a vontade de sua obra;
  • Ele é o Senhor do universo, cuja ordem estabeleceu, ordem esta que lhe permanece inteiramente submissa e disponível;
  • Ele é o Senhor da história: governa os corações e os acontecimentos a vontade.
"Teu grande poder está sempre a teu serviço, e
quem pode resistir à força de teu braço?" (Sb 11,21).

"Tu te compadeces de todos, porque tudo podes" (SB 11,23)
- Deus é o Pai Todo-Poderoso.
- Sua paternidade e seu poder iluminam-se mutuamente.
- Com efeito, ele mostra sua onipotência paternal pela maneira como cuida de nossas necessidades, pela adoção filial que nos outorga:
"Serei para vós um pai, e sereis para mim filhos e filhas,
diz o Senhor Todo-Poderoso": 2Cor 6,18,
e finalmente por sua misericórdia infinita, pois mostra seu poder no mais alto grau, perdoando livremente os pecados.

- A onipotência divina de modo algum é arbitrária:
"Em Deus o poder e a essência, a vontade e a inteligência, a sabedoria e a justiça são uma só e mesma coisa, de sorte que nada pode estar no poder divino que não possa estar na vontade justa de Deus ou em sua inteligência sábia".

O mistério da aparente impotência de Deus
- A fé em Deus Pai Todo-Poderoso pode ser posta a prova pela experiência do mal e do sofrimento.
- Por vezes, Deus pode parecer ausente e incapaz de impedir o mal.
- Ora, Deus Pai revelou sua Onipotência da maneira mais misteriosa no rebaixamento voluntário e na Ressurreição de seu Filho, pelos quais venceu o mal. Assim, Cristo crucificado é:
"poder de Deus e sabedoria de Deus.
Pois o que é loucura de Deus é mais sábio do que os homens, e o que é fraqueza de Deus é mais forte do que os homens" (1Cor 1,25).
- Foi na Ressurreição e na exaltação de Cristo que o Pai "desdobrou o vigor de sua força" e manifestou "que extraordinária grandeza reveste seu poder para nós, os que cremos" (Ef 1,19-22).

- Somente a fé pode aderir aos caminhos misteriosos onipotência de Deus.
- Esta fé gloria-se de suas fraquezas a fim de atrair sobre si o poder de Cristo.
- Desta fé, a Virgem Maria é o modelo supremo, ela que acreditou que "nada impossível a Deus" (Lc 1,37) e que pôde engrandecer o Senhor:
"O Todo-Poderoso fez grandes coisas em meu favor,
seu nome é Santo" (Lc 1,49).

- Por isso, nada é mais adequado para consolidar nossa Fé e nossa esperança do que a convicção profundamente gravada em nossas almas de que nada é impossível a Deus.
- Pois tudo o que a Profissão de Fé [o Credo] nos propõe a crer - as maiores coisas, as mais incompreensíveis, bem como as que mais ultrapassam as leis ordinárias da natureza, desde que nossa: razão tenha pelo menos idéia da onipotência divina, ela admitirá facilmente e sem qualquer hesitação.

CIC-Catecismo da Igreja Católica §268-274