quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Deus Criador, 2ª parte


"O mundo foi criado para a glória de Deus"
- Eis uma verdade fundamental que a Escritura e a Tradição não cessam de ensinar e de celebrar: "O mundo foi criado para a glória de Deus".
- Deus criou todas as coisas, explica São Boaventura, - não para aumentar a [sua] glória, mas para manifestar a glória e para comunicar a sua glória.
- Pois Deus não tem outra razão para criar a não ser seu amor e sua bondade: Aberta a mão pela chave do amor, as criaturas surgiram.
- E o Concílio Vaticano I explica:
Este único e verdadeiro Deus, por sua bondade e por sua "virtude onipotente", não para aumentar sua felicidade nem para adquirir sua perfeição, mas para manifestar essa perfeição por meio dos bens que prodigaliza as criaturas, com vontade plenamente livre, criou simultaneamente no início do tempo ambas as criaturas do nada:
  • a espiritual e a corporal.
- A glória de Deus consiste em que se realize esta manifestação e esta comunicação de sua bondade em vista das quais o mundo foi criado. Fazer de nós "filhos adotivos por Jesus Cristo: conforme o beneplácito de sua vontade para louvor à glória da sua graça" (Ef 1,5-6):
"Pois a glória de Deus é o homem vivo, e a vida do homem é a visão de Deus: se já a revelação de Deus por meio da criação proporcionou a vida a todos os seres que vivem na terra, quanto mais a manifestação do Pai pelo Verbo proporciona a vida àqueles que vêem a Deus".

O mistério da criação
Deus cria um mundo ordenado e bom
- Já que Deus cria com sabedoria, a criação é ordenada: "Tu dispuseste tudo com medida número e peso" (Sb 11,20). Feita no e por meio do Verbo eterno, "imagem do Deus invisível" (Cl 1,15), a criação está destinada, dirigida ao homem, imagem de Deus, chamado a uma relação pessoal com Ele. Nossa inteligência, que participa da luz do Intelecto divino, pode entender o que Deus nos diz por sua criação, sem dúvida não sem grande esforço e num espírito de humildade e de respeito diante do Criador e de sua obra. Originada da bondade divina, a criação participa desta bondade: "E Deus viu que isto era bom... muito bom" (Gn 1,4.10.12.18.21.31).
- Pois a criação é querida por Deus como um dom dirigido ao homem, como uma herança que lhe é destinada e confiada. Repetidas vezes a Igreja teve de defender a bondade da criação, inclusive do mundo material.
  
Deus transcende a criação e está presente nela
- Deus é infinitamente maior que todas as suas obras: "Sua majestade é mais alta do que os céus" (Sl 8,2), "é incalculável a sua grandeza".
- Mas, por ser o Criador soberano e livre, causa primeira de tudo o que existe, Ele está presente no mais íntimo das suas criaturas:
  • "Nele vivemos, nos movemos e existimos" (At 17,28).
- Segundo as palavras Santo Agostinho, ele é maior do que o que há de maior em mim e íntimo do que o que há de mais íntimo em mim.


CIC-Catecismo da Igreja Católica §293-301