quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Maria

Deus quis servir-se de Maria na encarnação
- Deus Pai só deu ao mundo seu Filho único por Maria. Suspiraram os patriarcas e pedidos insistentes fizeram os profetas e os santos da lei antiga, mas só Maria o mereceu e alcançou graça diante de Deus. Porque o mundo era indigno, de receber o Filho de Deus diretamente das mãos do Pai, ele o deu a Maria a fim de que o mundo o recebesse por meio dela. Em Maria e por Maria é que o Filho de Deus se fez homem para nossa salvação.
- Deus Pai transmitiu a Maria sua fecundidade, na medida em que a podia receber uma simples criatura, para que ela pudesse produzir o seu Filho e todos os membros de seu corpo místico.

- Deus Espírito Santo formou Jesus Cristo em Maria, mas só depois de lhe ter pedido consentimento por intermédio de um dos primeiros ministros da corte celestial: o Anjo Gabriel. (Lc1, 26-38)
- É com ela, nela e dela que o Espírito Santo produziu sua obra-prima, um Deus feito homem, e que produz todos os dias, até o fim do mundo, os predestinados e os membros do corpo deste Chefe adorável.
- Eis porque, quanto mais em uma alma o Espírito Santo encontra Maria, sua querida e incomparável esposa, mais operante e poderoso se torna para produzir Jesus Cristo nessa alma, e essa alma em Jesus Cristo.
- Deus Filho desceu ao seio virginal de Maria, qual novo Adão no paraíso terrestre, para aí realizar e operar em segredo maravilhas de graça.
- Deus, feito homem, encontrou sua liberdade em se ver aprisionado no seio da Virgem Mãe; /patenteou a sua força em se deixar levar por esta Virgem Santa; /achou sua glória e a de seu Pai, escondendo seus esplendores a todas as criaturas deste mundo, para revelá-las somente a Maria; /glorificou sua independência e majestade, dependendo desta Virgem amável: em sua apresentação no templo, em seus trinta anos de vida oculta, até a morte, a que ela devia assistir para fazerem ambos um mesmo sacrifício e para que ele fosse imolado ao Pai eterno com o consentimento de sua Mãe, como outrora Isaac, com o consentimento de Abraão à vontade de Deus. (Gn 22, 1-19)
- Jesus Cristo deu mais glória a Deus, submetendo-se a Maria durante trinta anos, do que se tivesse convertido toda a terra pela realização dos mais estupendos milagres. Oh! Quão altamente glorificamos a Deus, quando, para lhe agradar, nos submetemos a Maria, a exemplo de Jesus Cristo, nosso único modelo.
- Se examinarmos atentamente o resto da vida de Jesus, veremos que foi por Maria que ele quis começar seus milagres:
* Pela palavra de Maria ele santificou São João Batista no seio de Santa Isabel: assim que as palavras brotaram dos lábios de Maria, João ficou santificado, e foi este seu primeiro e maior milagre de graça. (Lc1, 39-56)
* Foi a pedido de Maria, que Jesus, no casamento em Caná, mudou água em vinho, sendo este seu primeiro milagre sobre a natureza. (Jo 2, 1-12)
Jesus começou e continuou seus milagres por Maria,
e por Maria os continuará até o fim dos séculos.
Deus quis servir-se de Maria na santificação das almas
- A conduta das três pessoas da Santíssima Trindade, na encarnação e primeira vinda de Jesus Cristo, é a mesma de todos os dias, de um modo visível, na Igreja, e esse procedimento há de perdurar até a consumação dos séculos, até a última vinda de Cristo.
- Deus Filho comunicou a sua Mãe tudo que adquiriu por sua vida e morte: seus méritos infinitos e suas virtudes admiráveis.
A fez tesoureira de tudo que seu Pai lhe deu em herança; /é por ela que Ele aplica seus méritos aos membros do corpo místico, que comunica suas virtudes, e distribui suas graças; /é ela o canal misterioso, o aqueduto, pelo qual passam abundante e docemente suas misericórdias.
- Deus Espírito Santo comunicou a Maria, sua fiel esposa, seus dons inefáveis, escolhendo-a para dispensadora de tudo que Ele possui.
Deste modo ela distribui seus dons e suas graças a quem quer, e dom nenhum é concedido aos homens, que não passe por suas mãos virginais. Tal é a vontade de Deus, que tudo tenhamos por Maria e assim será enriquecida, elevada e honrada pelo Altíssimo, aquela que, em toda a vida, quis ser pobre, humilde e escondida até o nada.
Nosso Senhor Jesus Cristo continua a ser, no céu,
tão Filho de Maria, como o foi na terra.
- Jesus conserva a submissão e obediência do mais perfeito dos filhos para com a melhor das mães. Cuidemos, porém, de não atribuir a essa dependência o menor abaixamento ou imperfeição em Jesus Cristo.
Maria está infinitamente abaixo de seu Filho, que é Deus, e, portanto, não lhe dá ordens como uma mãe terrestre as dá a seu filho.
- Maria, porque está toda transformada em Deus pela graça e pela glória que, em Deus, transforma todos os santos, não pede, não quer, não faz a menor coisa contrário à eterna e imutável vontade de Deus.
- Se Moisés, pela força de sua oração, conseguiu sustar a cólera de Deus contra os Israelitas, e de tal modo que o Altíssimo e infinitamente misericordioso Senhor lhe disse que o deixasse encolerizar-se e punir aquele povo rebelde... (Ex 32)Que devemos pensar, com muito mais razão, da prece da humilde Maria, a digna Mãe de Deus, que tem mais poder junto a Majestade Divina, que as preces e intercessões de todos os anjos e santos do céu e da terra?
- Para recompensar sua profunda humildade, Deus lhe deu o poder e a missão de povoar de santos os tronos vazios, que os anjos apóstatas abandonaram e perderam por orgulho. E a vontade do Altíssimo, que exalta os humildes é que o céu, a terra e o inferno se curvem, de bom ou mau grado, às ordens da humilde Maria, pois Ele a fez soberana do céu e da terra, /general de seus exércitos, /tesoureira de suas riquezas, /dispensadora de suas graças, /artífice de suas grandes maravilhas, /reparadora do gênero humano, /mediadora para os homens, /exterminadora dos inimigos de Deus e a fiel companheira de suas grandezas e de seus triunfos.

Corpo místico de Jesus
- Assim como na geração natural e corporal há um pai e uma mãe, há, na geração sobrenatural, um Pai que é Deus e uma mãe que é Maria.
- Todos os verdadeiros filhos de Deus e os predestinados têm Deus por Pai e Maria por mãe; /e quem não tem Maria por mãe, não tem Deus por Pai.
- Por isso, os incrédulos que odeiam ou olham com indiferença a Virgem, não tem Deus por Pai, ainda que disto se gloriem, pois não têm Maria por mãe. Se eles a tivessem por mãe haveriam de amá-la e honrá-la, como um bom filho ama e honra naturalmente sua mãe que lhe deu a vida.
- Se Jesus Cristo, o chefe dos homens, nasceu de Maria, os predestinados, que são os membros do chefe, devem também nascer de Maria. Não há mãe que dê a luz a cabeça sem os membros ou os membros sem a cabeça: seria uma monstruosidade da natureza. Do mesmo modo, na ordem da graça, a cabeça e os membros nascem da mesma mãe, e, se um membro do corpo místico de Jesus Cristo, isto é, um predestinado, nascesse de outra mãe, que produziu a cabeça, não seria um predestinado, nem membro de Jesus Cristo, e sim um monstro na ordem da graça.
- Vibra nos céus e na terra o clamor incessante, milhões e milhões de vezes, todos os dias, a saudação do Anjo Gabriel: Ave Maria cheia de graça, o Senhor é convosco, bendito é o fruto do vosso ventre Jesus. (Lc1, 28 e 42)

(Tratado da verdadeira devoção à Santíssima Virgem São Luiz Maria Grignion de Monfort)
Imprima frente e verso na folha A4 (folheto)