domingo, 12 de janeiro de 2014

O mundo visível

O mundo visível
- Foi Deus mesmo quem criou o mundo visível em toda a sua riqueza, diversidade e ordem. A Escritura apresenta a obra do Criador simbolicamente como uma sequência de seis dias "de trabalho" divino que terminam com o "descanso" do sétimo dia.
- O texto sagrado ensina, a respeito da criação, verdades reveladas por Deus para nossa salvação que permitem "reconhecer a natureza profunda da criação, seu valor e sua finalidade, que é a glória de Deus".

* Não existe nada que não deva sua existência a Deus criador:
- O mundo começou quando foi tirado do nada pela Palavra de Deus; todos os seres existentes, toda a natureza, toda a história humana têm suas raízes neste acontecimento primordial: é a própria gênese pela qual o mundo foi constituído e o tempo começou.

*Cada criatura possui sua bondade e sua perfeição próprias:
- Para cada uma das obras dos "seis dias" se diz:
"E Deus viu que isto era bom".
- "Pela própria condição da criação, todas as coisas são dotadas de fundamento próprio, verdade, bondade, leis e ordens especificas."
- As diferentes criaturas, queridas em seu próprio ser, refletem, cada uma a seu modo, um raio da sabedoria e da bondade infinitas de Deus.
- É por isso que o homem deve respeitar a bondade própria de cada criatura para evitar um uso desordenado das coisas, que menospreze o Criador e acarrete consequências nefastas para os homens e seu meio ambiente.

* A interdependência das criaturas é querida por Deus:
- O sol e a lua, o cedro e a pequena flor, a águia e o pardal: as inúmeras diversidades e desigualdades significam que nenhuma criatura se basta a si mesma, que só existem em dependência recíproca, para se completarem mutuamente, a serviço umas das outras.

* A beleza do universo:
- A ordem e a harmonia do mundo criado resultam da diversidade dos seres e das relações que existem entre eles. O homem as descobre progressivamente como leis da natureza. Elas despertam a admiração dos sábios.
- A beleza da criação reflete a infinita beleza do Criador. Ela deve inspirar o respeito e a submissão da inteligência do homem e de sua vontade.

* A hierarquia das criaturas...: é expressa pela ordem dos "seis dias", que vai do menos perfeito ao mais perfeito. Deus ama todas as suas criaturas, cuida de cada uma, até mesmo dos pássaros.
- Apesar disso, Jesus diz: "Vós valeis mais do que muitos pardais", ou ainda: "Um homem vale muito mais do que uma ovelha".

* O homem é a obra-prima do obra do criação:
- A narração bíblica exprime isto distinguindo nitidamente a criação do homem da criação das outras criaturas.

* Existe uma solidariedade entre todas as criaturas... pelo fato de terem todas o mesmo Criador e de todas estarem ordenadas à sua glória:
  •  Louvado sejas, meu Senhor, com todas as tuas criaturas, especialmente o senhor irmão Sol, que clareia o dia e com sua LUZ nos alumia.
  • Louvado sejas, meu Senhor, pela irmã água, que é muito útil e humilde, preciosa e casta...
  • Louvado sejas, meu Senhor, por nossa irmã, a mãe Terra, que nos sustenta e governa, e produz frutos diversos e coloridas flores e ervas.
  • Louvai e bendizei a meu Senhor, e dai-lhe graças, e servi-o com grande humildade. (São Francisco de Assis)

* O Sábado - fim da obra dos "seis dias":
- O texto sagrado diz que "Deus concluiu no sétimo dia a obra que tinha feito", e assim "o céu e a terra foram terminados", e no sétimo dia Deus "descansou", e santificou e abençoou este dia (Gn 2,1-3).
- Essas palavras inspiradas são ricas de ensinamentos salutares:
- Na criação, Deus depositou um fundamento e leis que permanecem estáveis, nos quais o crente poderá apoiar-se com confiança e que para ele serão o sinal e a garantia da fidelidade inabalável da Aliança de Deus.
- Por sua parte, o homem deverá ficar fiel a este fundamento e respeitar as leis que o Criador inscreveu nele.
- A criação está em função do Sábado e portanto do culto e da adoração de Deus. O culto está inscrito na ordem da criação. "Nada se anteponha à obra de Deus", diz a regra de São Bento, indicando assim a ordem correta das preocupações humanas.
- O Sábado constitui o coração da lei de Israel. Observar os mandamentos é corresponder à sabedoria e à vontade de Deus expressa em sua obra de criação.

*O oitavo dia:
- Mas para nós nasceu um dia novo: o dia da Ressurreição de Cristo.
- O sétimo dia encerra a primeira criação. O oitavo dia dá início à nova criação. Assim, a obra da criação culmina na obra maior da redenção.
- A primeira criação encontra seu sentido e seu ponto culminante na nova criação em Cristo, cujo esplendor ultrapassa o da primeira.
CIC-Catecismo da Igreja Católica §337-349