sábado, 4 de janeiro de 2014

Creio em um só Deus

Creio em um só Deus
- A confissão da Unicidade de Deus, que tem sua raiz na Revelação Divina da Antiga Aliança, é inseparável da confissão da existência de Deus, e igualmente fundamental. Deus é único, só existe um Deus. "A fé cristã confessa que há Um só Deus, por natureza, por substância e por essência."
- A Israel, seu eleito, Deus revelou-se como o Único:
"Ouve, ó Israel: O Senhor nosso Deus é o único Senhor!
Portanto, amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração,
com toda a tua alma e com toda a tua força" (Dt 6,4-5).
- Por meio dos profetas, Deus chama Israel e todas as nações a se voltarem para Ele, o Único:
"Voltai-vos para mim e sereis salvos, todos os confins da terra, porque eu sou Deus e não há nenhum outro!... Com efeito diante de mim se dobrar todo joelho, toda língua ha de jurar por mim, dizendo: Só no Senhor há justiça e força".
  • Cremos firmemente e afirmamos simplesmente que há um só verdadeiro Deus eterno, imenso e imutável, incompreensível, Todo-Poderoso e inefável, Pai, Filho e Espírito Santo: Três Pessoas, mas uma Essência, uma Substância ou Natureza absolutamente simples.

Deus revela seu nome
- A seu povo, Israel, Deus revelou-se, dando-lhe a conhecer o seu nome.
- O nome exprime a essência, a identidade da pessoa e o sentido de sua vida. Deus tem um nome. Ele não é uma força anônima.
- Desvendar o próprio nome é dar-se conhecer aos outros; é, de certo modo, entregar-se a si mesmo, tomando-se acessível, capaz de ser conhecido mais intimamente e de ser chamado pessoalmente.
- Deus revelou-se progressivamente a seu povo e com diversos nomes, mas é a revelação do nome divino feita a Moisés na teofania da sarça ardente, pouco antes do Êxodo e da Aliança do Sinai, que se tomou a revelação fundamental para a Antiga e a Nova Aliança.

O Deus vivo
- Ao revelar seu nome, Deus, revela ao mesmo tempo sua fidelidade, que é de sempre e para sempre, válida tanto para o passado ("Eu sou o Deus de teus pais", Ex 3,6) como para o futuro ("Eu estarei contigo", Ex 3,12). Deus, que revela seu nome como "Eu sou", revela-se como o Deus que está sempre presente junto a seu povo para salvá-lo.

Deus de ternura e de compaixão
- Depois do pecado de Israel, que se desviou de Deus para adorar o bezerro de ouro, Deus ouve a intercessão de Moisés e aceita caminhar no meio de um povo infiel, manifestando, assim o seu amor.
- E o Senhor passa diante de Moisés e proclama: "Iahweh, Iahweh, Deus de ternura e de compaixão, lento para a cólera e rico em amor e fidelidade".
- Moisés confessa então que o Senhor é um Deus que perdoa.
- O Nome divino "Eu sou" ou "Ele é" exprime a fidelidade de Deus, que, apesar da infidelidade do pecado dos homens e do castigo que ele merece, "guarda seu amor a milhares". Deus revela que é "rico em misericórdia", indo até o ponto de dar seu próprio Filho.
- Ao dar sua vida para libertar-nos do pecado, Jesus revelará que ele mesmo traz o Nome divino: "Quando tiverdes elevado o Filho do Homem, então sabereis que "EU SOU".

Só Deus É
- Ao longo dos séculos, a fé de Israel pôde desenvolver e aprofundar as riquezas contidas na revelação do nome divino. Deus é único, fora dele não há deuses. Transcende o mundo e a história. Foi Ele quem fez o céu e a terra: "Eles perecem, mas tu permaneces; todos ficam gastos como a roupa... mas tu existes, e teus anos jamais findarão!". Nele "não ha mudança, nem sombra de variação". Ele é "AQUELE QUE É", desde sempre e para sempre, e é assim que permanece sempre fiel a si mesmo e às suas promessas.

Deus, "AQUELE QUE É", é Verdade e Amor
Deus é a Verdade
- Deus é a própria Verdade, suas palavras não podem enganar. É por isso que podemos entregar-nos com toda a confiança à verdade e à fidelidade de sua palavra em todas as coisas.
- O começo do pecado e da queda do homem foi uma mentira do tentador que induziu duvidar da Palavra de Deus, de sua benevolência e fidelidade.
- A verdade de Deus é sua sabedoria que comanda toda ordem da criação e do governo do mundo. Deus, que sozinho criou o céu e a terra, é o único que pode dar o conhecimento verdadeiro de toda coisa criada em sua relação com ele.
- Deus é verdadeiro também quando se revela: o ensinamento que vem de Deus é "uma doutrina de verdade".

Deus é amor
- Deus ama seu Povo mais do que um esposo ama sua bem-amada; este amor se sobrepor até às piores infidelidades; ir até a mais preciosa doação:
 "Deus amou tanto o mundo, que entregou seu Filho único".
- O amor de Deus é "eterno": "Os montes podem mudar de lugar e as colinas podem abalar-se, mas o meu amor não mudará".
"Eu te amei com um amor eterno, por conservei por ti o amor".
Mas São João ir ainda mais longe ao afirmar: "Deus é Amor" (1Jo 4,8.16); o próprio Ser de Deus é Amor. Ao enviar, na plenitude dos tempos, seu Filho único e o Espírito de Amor, Deus revela seu segredo mais íntimo: Ele mesmo é eternamente intercâmbio de amor: Pai, Filho e Espírito Santo, e destinou-nos a participar deste intercâmbio.

O alcance da fé no Deus Único
- Crer em Deus, o Único, e amá-lo com todo o próprio ser tem consequências imensas para toda a nossa vida:
  • Significa conhecer a grandeza e a majestade de Deus.
"Deus, é grande demais para que o possamos conhecer".
  • Significa viver em ação de graças. Se Deus é o Único, tudo o que somos e tudo o que possuímos vem dele:
"Que é que possuis, que não tenhas recebido?".
  • Significa conhecer a unidade e a verdadeira dignidade de todos os homens. Todos eles são feitos "à imagem e à semelhança de Deus".
  • Significa usar corretamente das coisas criadas. A fé no Deus único nos leva a usar de tudo o que não é Ele, na medida em que isso nos aproxima dele, e a desapegar-nos das coisas, na medida em que nos desviam dele:
*Meu Senhor e meu Deus, tirai-me tudo o que me afasta de vós.
*Meu Senhor e meu Deus, dai-me tudo o que me aproxima de vós.
*Meu Senhor e meu Deus, desprendei-me de mim mesmo para doar-me por inteiro a vós.
  • Significa confiar em Deus em qualquer circunstancia, mesmo na adversidade.
Nada te perturbe / Nada te assuste / Tudo passa / Deus não muda.
A paciência tudo alcança / Quem a Deus tem / Nada lhe falta.
Só Deus basta.

CIC-Catecismo da Igreja Católica 200-227