segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

O homem é capaz de Deus (2ª parte)

O conhecimento de Deus segundo a Igreja
- "A santa Igreja, nossa mãe, sustenta e ensina que Deus, princípio e fim de todas as coisas, pode ser conhecido com certeza pela luz natural da razão humana a partir das coisas criadas".
- Sem esta capacidade, o homem não poderia acolher a revelação de Deus.
- O homem tem esta capacidade por ser criado "à imagem de Deus".
- Todavia, nas condições históricas em que se encontra, o homem enfrenta muitas dificuldades para conhecer a Deus apenas com a luz de sua razão:
  • "Pois, embora a razão humana, absolutamente falando, possa chegar com suas forças e lume naturais ao conhecimento verdadeiro e certo de um Deus pessoal, que governa e protege o mundo com sua Providência, bem como chegar ao conhecimento da lei natural impressa pelo Criador em nossas almas, de fato, muitos são os obstáculos que impedem a mesma razão de usar eficazmente e com resultado desta sua capacidade natural.

  • As verdades que se referem a Deus e às relações entre os homens e Deus são verdades que transcendem completamente a ordem das coisas sensíveis e quando estas verdades atingem a vida prática e a regem, requerem sacrifício e abnegação.
A inteligência humana, na aquisição destas verdades, encontra dificuldades tanto por parte dos sentidos e da imaginação como por parte das más inclinações, provenientes do pecado original.
Donde vemos que os homens em tais questões, facilmente procuram persuadir-se de que seja falso ou ao menos duvidoso aquilo que não desejam que seja verdadeiro"

- Por isso, o homem tem necessidade de ser iluminado pela revelação de Deus, não somente sobre o que ultrapassa seu entendimento, mas também sobre "as verdades religiosas e morais que, de per si, não são inacessíveis à razão, a fim de que estas no estado atual do gênero humano possam ser conhecidas por todos sem dificuldade, com uma certeza firme e sem mistura de erro"

Como falar de Deus?
- Ao defender a capacidade da razão humana de conhecer a Deus, a Igreja exprime sua confiança na possibilidade de falar de Deus a todos os homens e com todos os homens.
- Esta convicção esta na base de seu diálogo com as outras religiões, com a filosofia e com as ciências, como também com os não-crentes e os ateus.

- Uma vez que nosso conhecimento de Deus é limitado, também limitada é nossa linguagem sobre Deus.
- Só podemos falar de Deus a partir das criaturas e segundo nosso modo humano limitado de conhecer e de pensar.

- As criaturas, todas elas, trazem em si certa semelhança com Deus, muito particularmente o homem criado à imagem e a semelhança de Deus.
- Por isso as múltiplas perfeições das criaturas (sua verdade, bondade e beleza) refletem a perfeição infinita de Deus.
- Em razão disso podemos falar de Deus a partir das perfeições de suas criaturas:
"pois a grandeza e a beleza das criaturas fazem,
por analogia, contemplar seu Autor" (Sb 13,5).

- Deus transcende a toda criatura. Por isso, é preciso incessantemente purificar nossa linguagem daquilo que possui de limitado, de proveniente de pura imaginação, de imperfeito, para não confundirmos o Deus "inefável, incompreensível, invisível, inatingível" com as nossas representações humanas.
- Nossas palavras humanas permanecem sempre aquém do Mistério de Deus.
- Assim falando de Deus, nossa linguagem se exprime, sem dúvida, de maneira humana, mas ela atinge realmente o próprio Deus, ainda que sem poder exprimi-lo em sua infinita simplicidade.
- Com efeito, é preciso lembrar que "entre o Criador e a criatura não se pode notar uma semelhança, sem que se deva notar entre eles uma ainda maior dessemelhança", e que "não podemos apreender de Deus o que ele é, mas apenas o que ele não é e de que maneira os outros seres se situam em relação a ele"
CIC-Catecismo da Igreja Católica §36-43

Homem superior a criação
- O homem é maior que as realidades criadas, não o contrário.
- Somente estará satisfeito quando atingir um bem superior a si.
- Como somente Eu Sou maior que o homem, disto decorre que somente Eu, Deus Eterno, consigo sacia-lo.
- Separado de Mim pelo pecado, o homem vive perenemente atormentado e sofredor.
(O Diálogo-Santa Catarina de Sena, pg192)

- O homem é superior a toda a criação.
- Só se satisfaz com bens superiores a Ele, que é Deus.
- Ao amar realidades inferiores a si, torna-se insaciável;
No entanto, são as coisas que devem servir ao homem, não vice-versa.
- Só a Mim deve o homem servir, Sou seu fim ultimo.

(O Diálogo-Santa Catarina de Sena, pg343)