domingo, 27 de outubro de 2013

Igreja, Corpo de Cristo

A Igreja é comunhão com Jesus
- Desde o início, Jesus associou seus discípulos à sua vida:
·         revelou-lhes o Mistério do Reino,
·         deu-lhes participar de sua missão,
·         de sua alegria e
·         de seus sofrimentos.
- Jesus fala de uma comunhão ainda mais íntima entre Ele e os que o seguiriam:
"Permanecei em mim, como eu em vós... Eu sou a videira, e vós os ramos" (Jo 15,4-5).
- E anuncia uma comunhão misteriosa e real entre o seu próprio corpo e o nosso:
"Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele" (Jo 6,56).
- Quando sua presença visível lhes foi tirada, Jesus não deixou seus discípulos órfãos:
·         Prometeu ficar com eles até o fim dos tempos,
·         enviou-lhes seu Espírito.
- A comunhão com Jesus tornou-se, de certa maneira, mais intensa:
"Ao comunicar seu Espírito, fez de seus irmãos, chamados de todos os povos, misticamente os componentes de seu próprio Corpo".

- A comparação da Igreja com o corpo projeta uma luz sobre os laços íntimos entre a Igreja e Cristo. Ela não é somente congregada em torno dele; é unificada nele, em seu Corpo.
- Cabe destacar mais especificamente três aspectos da Igreja-Corpo de Cristo:
·         a unidade de todos os membros entre si por sua união com Cristo;
·          Cristo Cabeça do Corpo;
·         a Igreja, Esposa de Cristo.

“Um só corpo”
- Os crentes que respondem à Palavra de Deus e se tornam membros do Corpo de Cristo ficam estreitamente unidos a Cristo:
"Neste corpo, a vida de Cristo se difunde por meio dos crentes que os sacramentos, de forma misteriosa e real, unem a Cristo sofredor e glorificado"
- Isto é particularmente verdade com relação ao Batismo, pelo qual somos unidos à morte e à Ressurreição de Cristo, e com relação à Eucaristia, pela qual, "participando realmente do Corpo de Cristo", "somos elevados à comunhão com ele e entre nós"'

- A unidade do corpo não acaba com a diversidade dos membros:
"Na edificação do corpo de Cristo, há diversidade de membros e de funções. Um só é o Espírito que distribui dons variados para o bem da Igreja segundo suas riquezas e as necessidades dos ministérios".
- A unidade do Corpo Místico produz e estimula entre os fiéis a caridade:
"Por isso, se um membro sofre, todos os membros padecem com ele; ou, se um membro é honrado, todos os membros se regozijam com ele".
- Finalmente, a unidade do Corpo Místico vence todas as divisões humanas:
"Todos vós, com efeito, que fostes batizados em Cristo, vos vestistes de Cristo. Não há judeu nem grego, não há escravo nem livre, não há homem nem mulher, pois todos vós sois um só em Cristo Jesus" (Gl 3,27-28).

"Deste Corpo, Cristo é a Cabeça"
- Cristo "é a Cabeça do Corpo que é a Igreja" (Cl 1,18);
- Cristo é o Princípio da criação e da redenção:
·         Elevado na glória do Pai "Ele tem em tudo a primazia" (Cl 1,18), principalmente sobre a Igreja, por meio da qual estende seu reino sobre todas as coisas.

- Ele nos une a sua Páscoa.
·         Todos os membros devem esforçar-se por se assemelhar a ele "até Cristo ser formado neles" (Gl 4,19). "Por isso somos inseridos nos mistérios de sua vida associamo-nos a suas dores como o corpo à Cabeça, para que padecendo com ele, sejamos com ele também glorificados.
- Ele provê o nosso crescimento.
·         Para fazer-nos crescer em direção a ele, nossa Cabeça, Cristo ordena em seu corpo, a Igreja, os dons e os serviços pelos quais nós nos a ajudamos mutuamente no caminho da salvação.

- Cristo e a Igreja, eis, portanto, o "Cristo total" ("Christus totus"). A Igreja é una com Cristo. Os Santos têm uma consciência bem viva desta unidade:
·         Alegremo-nos, portanto, e demos graças por nos termos tornado não somente cristãos, mas o próprio Cristo.
·         Compreendeis, irmãos, a graça que Deus nos concedeu ao dar-nos Cristo como Cabeça?
·         Admirai e rejubilai, nós nos tornamos Cristo. Com efeito, uma vez que Ele é a Cabeça e nós somos os membros, o homem inteiro é constituído por Ele e por nós.
·         A plenitude de Cristo é, portanto, a Cabeça e os membros. O que significa isto: a Cabeça e os membros? Cristo e a Igreja.

- Nosso Redentor mostrou-se como uma só pessoa com a santa Igreja, que ele assumiu.
- Cabeça e membros são como uma só pessoa mística.
- Uma palavra de Santa Joana d'Arc a seus juízes resume a fé dos santos Doutores e exprime o bom senso do crente:
"Quanto a Jesus Cristo e à Igreja, parece-me que são uma só coisa e que não se deve fazer objeções a isso”

A Igreja é a Esposa de Cristo
- A unidade entre Cristo e a Igreja, Cabeça e membros do Corpo, implica também a distinção dos dois em uma relação pessoal. Este aspecto é muitas vezes expresso pela imagem do Esposo e da Esposa.
- O tema de Cristo Esposo da Igreja foi preparado pelos Profetas e anunciado por João Batista.
- O Senhor mesmo designou-se como "o Esposo" (Mc 2,19).
- O apóstolo apresenta a Igreja e cada fiel, membro de seu Corpo, como uma Esposa "desposada" com Cristo Senhor, para ser com Ele um só Espírito.
·         Ela é a Esposa imaculada do Cordeiro imaculado, a qual Cristo "amou, pela qual se entregou, a fim de santificá-la" (Ef 5,26), que associou a si por uma Aliança eterna e da qual não cessa de cuidar como de seu próprio Corpo.

- Eis o Cristo total, Cabeça e Corpo, um só formado por muitos... Seja a cabeça a falar, seja os membros, é sempre Cristo quem fala:
·         Fala desempenhando o papel da Cabeça, fala desempenhando o papel do Corpo.
- Conforme o que está  escrito: "Serão dois em uma só carne. Eis um grande mistério: refiro-me a Cristo e à Igreja" (Ef 5,31-32). E o Senhor mesmo diz no Evangelho: "Já não são dois, mas uma só carne" (Mt 19,6).
- Como vistes, há  de fato duas pessoas diferentes, e todavia elas constituem uma só coisa no amplexo conjugal.
- Na qualidade de Cabeça ele se diz "Esposo", na qualidade de Corpo se diz "Esposa".
CIC-Catecismo da Igreja Católica §787-796